Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

MENSAGEM DE FIM DE ANO - 2014/2015

2014 foi um ano difícil! Que 2015 seja melhor! Já começo a mensagem com esta conclusão inafastável de que 2014 foi um ano difícil, pelo menos para a maioria dos brasileiros (me incluo nesta lista). Para mim foi um ano de altos e baixos. Já em janeiro vivi a maior emoção de minha vida, a paternidade (o ponto mais alto, aliás). Mas também tive muitas frustrações no decorrer do ano. Foram projetos que não consegui concluir, outros que sequer saíram do papel, mas muitos tiveram sucesso e me realizaram bastante. Financeiramente não foi meu pior ano, mas foi longe de ser o melhor. Tive o dissabor de assistir a nação se dividir entre extremos fictícios, inventados por pessoas desqualificadas que, por omissão dos bons, assumiram funções de poder na sociedade. Também me decepcionei com a extrema velocidade com que a irracionalidade está se espalhando pelo Brasil. Estamos vivendo um período de total "descontrucionismo da razão"! E isto é sério e precisa mudar. Mas isto não

Nota sobre a aprovação da Câmara sobre o Marco Civil da Internet

Mais burocracia e pouca solução aos verdadeiros problemas da Internet brasileira. Hoje foi aprovado pela Câmara dos Deputados o projeto de Lei que institui o Marco Civil da Internet Brasileira. A proposta ainda segue para o Senado que pode alterar significativamente o projeto de lei. Pode, mas acredito que não vai. Até porque, ultimamente Senado tem andado muito "entrosado" com o Governo e este quer celeridade nas votações. Analisando superficialmente a questão, já consigo de "prima" verificar que além da tradicional burrada de achar que tudo se resolve através de lei e com criação de sanções cíveis, administrativas e criminais (aqui ainda mais absurdo), o texto demonstra que foi elaborado por gente que não entende nada de Internet. Esperamos que as negociações do Planalto com o Senado não forcem a continuar com um texto tão imaturo, ou ainda pior, que se adicionem emendas que piorem ainda mais o texto original. A meu ver a tão divulgada "neutralidade&